sexta-feira, 12 de junho de 2015

Funcionários versus JBS: conteúdo também é arma de guerrilha


Imagine que você está se sentindo prejudicado de alguma forma e precisa chamar a atenção da opinião pública para pressionar seu adversário. O que fazer?

Um protesto na rua?
Um post no Facebook contando o que está acontecendo?
Um abaixo-assinado no Avaaz ou site semelhante?

Todas essas alternativas sempre são válidas. Mas os funcionários da JBS (gigante da carne, dona da Seara e da Friboi), que estavam insatisfeito com algumas políticas da empresa, foram além e apostaram no conteúdo.

Mais especificamente, em um vídeo parodiando e ironizando a famosa propaganda do Tony Ramos. Em outras palavras, eles usar o humor como arma para, logo depois, chegarem na mensagem principal. Você começa assistindo pela brincadeira, pela curiosidade (e também porque é um pouco mal feito) e, quando menos percebe, está recebendo as informações que eles queriam te passar.

Qual a novidade disso? Nenhuma. Já vi muitas ONGs e clientes decepcionados usando técnicas parecidas para chamar a atenção. Mas, pelo que eu me lembro, nunca tinha visto isso sendo aplicado por funcionários de uma própria empresa, sindicatos e afins.

Se a moda pegar, os alvos (empresas) terão arranjado uma bela dor de cabeça. Não quero entrar no mérito sobre quem está certo, até porque não conheço o caso de perto, mas, independentemente disso, qualquer empresa se sente acuada contra a opinião pública.

E qual a lição que fica aqui? Que qualquer um, qualquer um mesmo, pode utilizar conteúdo bem pensado a seu favor. Principalmente quando não se tem muito orçamento disponível.

Basta a história ser boa.



(para saber mais, leia a matéria do El País)

4 comentários:

O espaço é aberto para críticas, sugestões e até elogios. Só, por favor, não venha com spam.