quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Universos compartilhados, você ainda vai ouvir falar disso


Outro dia saiu um artigo bem interessante no The Hollywood Reporter sobre 2014 ser o ano dos Universos Compartilhados, conceito que estaria, em muitos casos, se sobrepondo ao das Franquias.

Isso, de certa forma, começou com a experiência da Marvel em entrelaçar filmes de 4 personagens (Homem de Ferro, Hulk, Capitão América e Thor), com referências e pequenas histórias ligando uns aos outros, e depois a junção de todos em Vingadores.

Segundo o artigo a Sony, que detém os direitos do Homem-Aranha, estaria pensando em expandir o universo do personagem com filmes de seus principais vilões e aliados. Já a Fox estaria trabalhando em um projeto para unir os universos de X-Men e Quarteto Fantástico, duas propriedades da Marvel cujos direitos estão com o estúdio há tempos. A Universal, por outro lado, parece que está matutando a ideia de unir monstros clássicos como Drácula, Múmia e Frankenstein em um único universo. E ainda tem a Warner, que está juntando Batman e Superman.

O que o artigo não fala é que um movimento muito parecido aconteceu lá pra trás, na primeira metade do século passado, quando os dois maiores conglomerados de quadrinhos, DC e Marvel, começaram a se formar a partir da compra de várias pequenas editoras, que tinham seus respectivos personagens e universos. Em um dado momento essas empresas tinham em mãos títulos pertencentes a muitos universos diferentes, e aí, principalmente por motivos comerciais, houve o movimento de fazer todas as histórias se conectarem. Eles queriam que levar públicos de um título para o outro, além de facilitar a bagunça na cabeça do leitor. Deu certo, e agora vemos esse raciocínio indo para o cinema.

De certa forma essa é também a lógica por trás da transmídia, apesar de que, nesses casos (*), estamos falando de universos que se desenrolam somente em uma mídia. Editoras e estúdios criarão universos realmente transmidiáticos quando os acontecimentos de um filme, por exemplo, impactarem o título mensal do mesmo personagem. Mas isso, acho eu, ainda vai demorar um pouco para acontecer.

notícia original via Augusto Velazquez de Brito

(*) Atualização em 15/01/2014: o mesmo Augusto me lembrou que o universo compartilhado da Marvel no cinema também possui desdobramentos em séries, internet (sites promocionais) e quadrinhos (que são diferentes das publicações mensais da editora). Portanto a  Marvel, nesse caso, é transmídia sim. Nos outros casos ainda não.

Um comentário:

O espaço é aberto para críticas, sugestões e até elogios. Só, por favor, não venha com spam.