quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Como você sente afeta o que você faz


Esse vídeo da iD Agency, agência britânica de live marketing, só tem um minuto de duração mas explica, de uma forma super simples, algo que deveria ser entendido por qualquer profissional de comunicação. Como você sente afeta o que você faz.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Entrevista com João Ciaco, Diretor de Publicidade e Mkt de Relacionamento da Fiat


O LinkedIn me convidou para ser o embaixador oficial da empresa no Young Lions Brasil 2013, prêmio pela primeira vez patrocinado por eles, e isso incluiu, dentre uma série de atividades, o desafio de entrevistar alguns dos profissionais de comunicação mais renomados do país.

Nessa série de posts estou republicando as entrevistas, que podem ser encontradas em primeira mão, junto de outros conteúdos exclusivos, no Grupo Young Lions Brasil powered by LinkedIn.



Entrevistas anteriores:
Mariana Stanisci
Guilherme Guimarães
Paola Colombo
Luciana Stein
Alessandro Cauduro
Tania Savaget
Cecília Troiano
Bruno Ponzini
Eduardo Camargo
André Kassu
Marcelo Jesus
Matheus Siqueira

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Entrevista com Mariana Stanisci, Diretora de Marcas Mainstream da Heineken


O LinkedIn me convidou para ser o embaixador oficial da empresa no Young Lions Brasil 2013, prêmio pela primeira vez patrocinado por eles, e isso incluiu, dentre uma série de atividades, o desafio de entrevistar alguns dos profissionais de comunicação mais renomados do país.

Nessa série de posts estou republicando as entrevistas, que podem ser encontradas em primeira mão, junto de outros conteúdos exclusivos, no Grupo Young Lions Brasil powered by LinkedIn.


sexta-feira, 8 de novembro de 2013

A abertura de Game of Thrones com as capitais do Nordeste


Você provavelmente já conhece a icônica abertura do seriado Game of Thrones, que vai situando o espectador naquele mundo de fantasia por meio do mapa dividido em reinos, como se fossem engrenagens de poder. A trilha é bem emocionante e também ajuda a entrar no clima.

E se, ao invés dos reinos, fossem as capitais do Nordeste? Partindo dessa ideia o publicitário Raphael Goettenauer resolveu recriar as capitais da região na mesma linha visual do seriado. E não é que ficou legal? Gostaria muito de ver uma versão dessa abertura com os bairros de São Paulo. :)


E lembrando que outro artista já tinha feito as capas dos livros da saga no estilo literatura de cordel.

via Ludmilla Veloso

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Salve um Panda - por trás do case


Muitas vezes trabalhos legais começam com pedidos inusitados, daqueles que fazem a gente quebrar a cabeça e tentar enxergar um problema por um novo ângulo. Assim foi com Salve um Panda, um desses projetos que chegam de mansinho no seu colo e cujo resultado te enche de orgulho: eu participei!

Antes de mais nada, esse é um post-case onde vou contar um pouco do raciocínio que foi sendo construído e da experiência de trabalhar junto a pessoas tão talentosas.

Tudo começou quando, alguns meses atrás, meus amigos da Mol Toons me convidaram para roteirizar uma série de animações com o objetivo de conscientizar a população para os direitos e deveres do ciclista no CTB (Código Brasileiro de Trânsito).


Uma confissão pública da qual não me orgulho: eu não sei andar de bicicleta! É isso mesmo. Levei um tombo feio quando criança, na época da transição entre o uso e o não-uso das rodinhas, e traumatizei. Então, como é que eu poderia aceitar esse trabalho? Ainda mais considerando que o cliente era um grupo de ativistas da sociedade civil, todos ciclistas pra lá de experientes.

Expliquei a situação, mas ninguém achou que isso fosse um problema. Então eu estava dentro. E aí veio o briefing: "a gente quer alguma coisa impactante, no estilo de Dumb Ways to Die", campanha que alertava a população de Londres para os acidentes no metrô, e que, na época, estava ganhando todos os prêmios possíveis.

Brainstorming dali, rascunho daqui, conjecturas para todos os lados, e aí, de repente, a minha não experiência com bicicletas até que foi útil. O fato é que a população que não usa bicicleta no dia a dia, na média, não está nem aí para os ciclistas. Claro que há muitos simpatizantes, mas o grupo de gente que é apática ao tema, ou mesmo que acha os ciclistas um pessoal chato, infelizmente, é grande. Era justamente para esse pessoal que deveríamos comunicar o CTB, não era?

E se, ao invés de chamar a atenção para o ciclista, correndo o risco de, mais uma vez, sermos ignorados, a gente criasse uma ligação inusitada entre o problema do qual queríamos falar e um problema capaz de chamar a atenção de um grupo bem maior? A ideia era fazer isso de uma forma divertida, e com uma certa dose de humor negro.


Logo lembrei de um post que tinha feito para o Update or Die, contando sobre o caso dos Ex-Lobisomens de Alicante. Tratava-se de uma associação de portadores de Parkinson que, procurando se tornar mais divertida e engajadora, utilizou uma ligação surreal entre o fato do Michael J. Fox ser um portador da doença e também ter interpretado um lobisomem no cinema. E se isso fosse a causa da doença? E se todas as vítimas do Parkinson fossem ex-lobisomens? Não faz sentido, eu sei. Mas, por isso mesmo, chama a atenção e engaja. Vejam o link do post para entender melhor.

E qual seria nossa causa? Foi aí que chegamos na ideia do panda. Na internet existe essa expressão utilizada para dar uma conotação de vergonha toda vez que alguém faz algo que é errado ou muito clichê:

"toda vez que <<algo errado ou clichê, insira aqui>> acontece, um panda morre"

Não faz sentido também, eu sei. Mas essa é a graça da coisa. Afinal, quem consegue colocar a cabeça no travesseiro sabendo que foi responsável pela morte de um panda, não é mesmo? Se a pessoa não se toca pelo bom senso, talvez o panda consiga chamar atenção.

E foi, a partir desse raciocínio, que chegamos no conceito Salve um Panda, afinal, toda vez que o motorista desrespeita o CTB, um panda morre!

Mas ainda faltava uma sacada final. Falar de direitos sem falar de deveres não é uma boa quando o objetivo da campanha é conscientizar, e não provocar uma guerra. Então, o que acontece quando é o ciclista que desrespeita o CTB? Foi aí que uma das pessoas do grupo deu uma ideia. Mas aí você vai ter que assistir até o final para entender. :)

São três vídeos curtinhos. Dá play e se divirta.







Gostou? Então divulgue para os seus amigos. O site oficial é www.salveumpanda.com.br.

No final o case acabou saindo em vários veículos, inclusive na Folha de S. Paulo.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Entrevista com Pablo de Arteaga, COO da Leo Burnett Tailor Made


O LinkedIn me convidou para ser o embaixador oficial da empresa no Young Lions Brasil 2013, prêmio pela primeira vez patrocinado por eles, e isso incluiu, dentre uma série de atividades, o desafio de entrevistar alguns dos profissionais de comunicação mais renomados do país.

Nessa série de posts estou republicando as entrevistas, que podem ser encontradas em primeira mão, junto de outros conteúdos exclusivos, nGrupo Young Lions Brasil powered by LinkedIn.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Jackson Five, uma brand story sobre a Dafra Motos

O conto abaixo foi escrito por Renato Bruno Neto, diretor de criação da Agência Ígnea, que foi meu aluno durante o Curso de Storytelling e Transmídia ministrado em Campinas, em 25/10/2013. O objetivo foi mostrar a relação especial e emocional que os donos da Next 250, da Dafra Motos, tem com o modelo. Tudo isso de uma forma extremamente verdadeira.



EM MORRO VERDE O SISTEMA É BRUTO

1990. Favela Morro Verde, cidade de Morros. Jack 5 é o caçula de uma família de trabalhadores. Sim, favelas são repletas de gente honesta. Jack5 cresceu na oficina do pai, em meio a motores, escapamentos e graxa. Seu maior sonho: ser piloto de MotoGP. Seu maior prêmio: um pôster autografado do Alex Barros, colado na parede embolorada do quarto, presenteado por um cliente da oficina.

O sonho de criança começou a se desfazer quando Jack5 completou dezesseis anos e precisou encarar a realidade da vida de frente. Cinco horas de ônibus todos os dias para chegar no supermercado, onde trabalhava como empacotador.

O tempo passou, Jack5 foi crescendo e o sonho de trabalhar com motos nunca saiu da sua cabeça. Na realidade Jack5 nunca se tornou um piloto de MotoGP. Mas aos 18 anos, todo orgulhoso da habilitação categoria A no bolso, conseguiu um emprego de motoboy. Um não, dois. Uma loja de motopeças durante o dia e uma pizzaria até as 11 da noite de segunda a sábado.

Quem nasce no Morro Verde aprende desde cedo que uma coisa é sonhar. Outra muito diferente é realizar o sonho. Mas jovem é jovem, tem sangue quente correndo nas veias. No final de 3 anos, Jack5 conseguiu juntar a entrada pra comprar uma  Next 250. Realizou o primeiro sonho palpável de consumo.

Amor à primeira vista. A motinho mais bonita da favela. Amarela, esperta, um sonho. Jack5 amava aquela moto. Mas Jack5 também amava Nina, a menina da vizinha que brincava com ele no meio dos escapamentos desde criança.

Cresceram juntos. Ficaram adultos juntos. E juntos tiveram que enfrentar a maior barra de suas vidas.
- Jack, é a Nina. Por que você não atendeu o celular?
- Tava no corre, mano.
- Mas eu te liguei cinco vezes!
- Calma, preta. Tá nervosa, por quê?
- Deu positivo.
- Silêncio do outro lado da linha.
- Jack, cê taí? Deu posivo. Eu tô grávida.

Sexta-feira, 29 de setembro 2013. 1º Cartório de Registros de Morros.
Acaba de ser registrado Jackson6 da Silva. Filho de Jackson5 da Silva e Maria Hermínia Ferreira da Silva.

Sábado, 30 de setembro de 2013. Classimotor Autos e Motos.
VENDE-SE DAFRA NEXT 2011. Excelente estado. Preço imcomparável.
Motivo: em Morro Verde, uma coisa é sonhar. Outra muito diferente é realizar o sonho.