segunda-feira, 1 de outubro de 2012

O futuro da economia brasileira


Em 18 de setembro estive na palestra do Ilan Goldfajn, economista-chefe do Itaú, organizada pela exSanta, Associação dos Ex-Alunos do Colégio Santa Cruz.

Por acaso tive o prazer de participar da mesa, selecionando as perguntas da platéia na segunda metade do evento. A foto acima foi tirada dali.
Fiz um resuminho para um amigo, nas minhas próprias palavras, tomando várias liberdades poéticas, e aí resolvi publicar aqui no melhor espírito de compartilhar conhecimento. Vamos lá:

- o Brasil cresceu muito nos últimos anos por vários fatores externos (principalmente crescimento da China) e porque colocamos 10% de desempregados trabalhando. Só que isso chegou ao limite. Os fatores externos agora estão desacelerando e todo mundo já está empregado.

- Para crescer mais é preciso melhorar a mão de obra (com educação) e investir em infra-estrutura no geral. Só assim dá para aumentar a produtividade.

- Isso significa que o prognóstico para os próximos anos é um crescimento de 3 a 4% ao ano, no máximo. Até resolvermos esse gargalo, ou até os fatores externos mudarem de novo, de forma imprevisível, pra cima.

esse post foi adaptado de algo que escrevi no Facebook, aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O espaço é aberto para críticas, sugestões e até elogios. Só, por favor, não venha com spam.