quarta-feira, 16 de maio de 2012

Prometheus: propaganda e entretenimento se confundem



O vídeo acima não é exatamente novidade, mas, se você ainda não viu, trata-se de uma palestra ficcional do TED. O palestrante é um personagem que faz parte do universo ficcional de Prometheus, novo filme do Ridley Scott que estréia esse ano.

A questão aqui é a seguinte: o que exatamente é isso? Trata-se de uma peça publicitária para promover o filme? Trata-se de uma extensão transmídia do filme? Ou funcionaria mais como um trailer feito com cenas que não estarão na obra final?

Provavelmente um pouco de tudo isso. E é justamente essa a conclusão do artigo da Ad Age escrito por Jeff Gomez e Simon Pulman, duas das maiores autoridades no assunto transmídia.

É interessante notar que aos poucos os limites do que é propaganda e entretenimento vão se desfazendo. E, de fato, em um tempo em que a propaganda é facilmente ignorada graças aos recursos tecnológicos, isso faz todo sentido.

Uma propaganda que fica à margem do produto não agrega nada na vida do consumidor. Uma marca que entendeu isso foi a Red Bull, que foi capaz de criar uma plataforma de comunicação tão aderente ao propósito do produto que acaba funcionando até independentemente dele, como uma empresa de conteúdo (leia aqui se você não souber do que estou falando).

Update: Hoje mesmo foi lançado mais um conteúdo relacionado ao filme que transita entre os limites do entretenimento e da comunicação. O mais interessante é que, no caso, há uma terceira marca envolvida, a Microsoft, que criou um jogo baseado no universo do filme para promover seu navegador Internet Explorer. Mais informações aqui. A dica foi do @ernestodiniz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O espaço é aberto para críticas, sugestões e até elogios. Só, por favor, não venha com spam.