segunda-feira, 23 de abril de 2012

A Marvel entendeu como funciona a transmídia, e você?


No último SXSW a Marvel anunciou um monte de novidades, entre elas sua nova marca "Marvel Infinite Comics" (acima), e também seus personagens e histórias transbordando para novas tecnologias, como a realidade aumentada (abaixo).



O Gustavo Giglio fez um post sobre isso no Danger, canal de quadrinhos e cultura pop do Update or Die (onde também escrevo), e essa não é a primeira vez que falo da Marvel. Leia esse post.

O fato é que hoje essa é a empresa de entretenimento que está fazendo avanços mais significativos no sentido de integrar personagens e mídias. Primeiro foi a experiência, até então muito bem sucedida, de criar filmes interligados de super-heróis, levando pela primeira vez a lógica dos quadrinhos para o cinema. Aliás, Avengers estréia daqui alguns dias e eu estou muito curioso para ver o resultado.

Depois vieram essas notícias do SXSW, que pipocaram durante todo o mês passado. Mas, pra mim, a realidade aumentada do vídeo aí em cima é só pirotecnia. Muito bacana, não tem como não se encantar, mas é o tipo de truque que só funciona uma vez.

A coisa vai ficar séria mesmo quando eles começarem a integrar as histórias nas novas tecnologias. Por exemplo, imagine uma saga em capítulos onde o primeiro você lê, o segundo você joga, o terceiro você assiste, e por aí vai. Os tablets permitem isso com alguma facilidade, mas não necessariamente é preciso ter um.

Já li por aí que há planos de integrar o universo do quadrinhos com o do cinema. Por exemplo, se um personagem morre no papel, ele estará morto no próximo filme, e vice-versa. Mas isso, por enquanto, é pura especulação.

O que não é especulação é ver que a Marvel entendeu bem que seu negócio não é vender gibis, mas sim contar histórias, independentemente de onde elas estejam, e de forma que uma mídia se relacione com a outra, fazendo com que a soma seja maior que as partes. Aliás, não por acaso esse é o raciocínio de uma plataforma transmídia.

E, também não por acaso, dá para usar isso como analogia do que não está acontecendo com duas indústrias que andam bastante perdidas: o jornalismo e a publicidade. Mas esse assunto fica para outro post...

7 comentários:

  1. Excelente! Se a Marvel conseguir essa integração, os fãs terão um envolvimento ainda maior com as histórias e personagens, e a empresa, consequentemente, irá faturar mais (e em mais mídias).

    Ainda vejo essas séries de filmes um "engatinhar" da Marvel em direção a essa integração transmídia, pq os filmes são muito fechados em si mesmos - e só essa coisa de ter que contar a origem de cada herói acaba por ignorar os quadrinhos, e não complementá-los...

    ResponderExcluir
  2. Concordo Aline.

    Mas o que eles poderiam fazer nesse sentido é começar uma outra série nas bancas A PARTIR dos filmes. Assim como já fizeram com o universo Ultimate, que não é o mesmo universo normal.

    Mas aí seriam 3 universos né? Meio confuso isso. :) Mas não impossível...

    ResponderExcluir

O espaço é aberto para críticas, sugestões e até elogios. Só, por favor, não venha com spam.