quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Logorama - storytelling para marcas

Só agora assisti Logorama, o curta de animação que ganhou o Oscar de 2010. Me julguem. Eu sei que a notícia é velha, mas deixo aqui o vídeo para quem ainda não viu. Vale a pena, mas vale uma reflexão, ali embaixo.



Não preciso dizer que visualmente o curta é sensacional, né? Para quem trabalha com comunicação então, é irresistível ficar procurando logos por todas as partes.

Mas aí que está, para mim isso é mais uma brincadeira, ou um experimento, do que uma história. Durante o curta não consegui criar empatia com nenhum personagem. Queria saber qual a motivação do Ronald para ter virado um sociopata, e quando acabou não consegui responder pra mim mesmo sobre o que era a história.

Conclusão: Logorama nos ensina que histórias não são, e nem podem ser, sobre marcas. Histórias são sobre pessoas, e pessoas se relacionam com marcas. Quando a gente tenta inverter a equação chegamos a um resultado que pode ser até plasticamente muito bonito, mas que não tem a humanidade das histórias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O espaço é aberto para críticas, sugestões e até elogios. Só, por favor, não venha com spam.