quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Fuja do storytelling bullshit!



Volta e meia alguém me envia algum vídeo ou artigo sobre storytelling. Se for interessante eu sempre publico aqui, mas quando é picaretagem eu filtro. O vídeo acima é um caso de picaretagem, mas vou usá-lo como exemplo.

Trata-se de uma entrevista com Peter Guber (mal aí Peter, estou te usando como mau exemplo), atual CEO da Mandalay e antigo CEO da Sony Pictures, ou seja, o cara sempre trabalhou com histórias e deveria saber mais do que ninguém, o que realmente significa storytelling.

Não descobri se ele sabe ou não, mas sei que na entrevista ele diz que para contar uma história basta ser autêntico, demonstrar emoções, ter um propósito claro e prestar atenção no que o seu público tem a dizer. É verdade que essas coisas são importantes, sobretudo no contexto de um líder engajando funcionários, mas isso não garante uma história.

Se eu falar que comprei um carro você pode imaginar qualquer coisa entre um Fusca e uma Ferrari, mas de qualquer forma sempre vai pensar em algo que tem 4 pneus, um motor, uma direção e é capaz de se mover sozinho, independente de forças externas. Com storytelling é a mesma coisa. Seja um romance literário ou um videogame de ficção científica, toda história possui alguns elementos em comum: protagonista, conflito, climax, transformação, verdade humana etc.


Caso sua "história" não tenha esses elementos, então você está fazendo outra coisa: um discurso, um anúncio, uma apresentação, sei lá...e fazer qualquer dessas coisas com autenticidade não significa que você está usando storytelling, mas sim que você está fazendo o óbvio.

Infelizmente uma grande parte dos artigos, posts e livros que falam sobre storytelling para empresas se limitam à dicas do tipo "seja você mesmo" e acabam partindo da falsa noção de que qualquer coisa pode ser uma história. No fundo acabam funcionando como livros de auto-ajuda corporativa disfarçados do tema do momento. Isso é triste, mas é uma realidade. E fique esperto, pois não acontece só com storytelling.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O espaço é aberto para críticas, sugestões e até elogios. Só, por favor, não venha com spam.