terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Discurso de Jeff Gomez na StoryWorld: veja um pouco de você mesmo no seu próprio caminho


Se você chegou até aqui provavelmente já sabe quem é Jeff Gomez, mas, por via das dúvidas, vou apresentá-lo. O cara é uma das maiores referências em transmídia no mundo, mais pelo lado prático do que teórico, e vem construindo grandes cases por meio de sua empresa, a Starlight Runner. Duas referências rápidas: ele foi o responsável pela primeira campanha transmídia da Coca-Cola, em 2006, e pela expansão do universo de Piratas do Caribe. Tá bom?

No final de 2011 ele palestrou na StoryWorld e algum tempo depois o Transmythology publicou a transcrição do discurso. Se você se interessa pelo tema aceite meu conselho: vá até lá e leia. Sim, o texto é longo e está em inglês, mas vale o esforço.

O motivo? Você pode saber quem é Jeff Gomez, mas provavelmente não o conhece de verdade. Eu também não conhecia. Sabia que ele era uma referência no assunto, já tinha lido meia dúzia de coisas interessantes a seu respeito e também conhecia seu trabalho. Mas isso não responde quem, de fato, é uma pessoa.

Uma pessoa é os motivos e aspirações que a levaram até uma grande reputação ou trabalho. É sobre isso que ele fala e, no fundo, é sobre isso que todas as histórias falam. CONTEXTO.

Por exemplo, agora sei que Jeff foi aficionado por filmes e séries desde a infância e sempre se perguntou como é que peças de uma mesma franquia se encaixavam. Na maior parte das vezes não se encaixavam, e isso o deixava confuso.

Mais tarde, na adolescência, ele encontrou o RPG como uma forma de dar vazão às suas idéias malucas, e ficou popular entre seus amigos pela habilidade de construir universos interessantes o suficiente para que as pessoas quisessem explorá-lo em mais uma aventura, e na próxima, e na próxima... De quebra isso acabou salvando-o do bullying que sofria por ser uma criança diferente das outras.

Agora eu pergunto: sabendo desse background as coisas não fazem muito mais sentido? Agora entendo o motivo da fama e dos cases que Jeff Gomez conseguiu construir nos últimos dez anos. E se estivesse em uma posição para contratá-lo para criar um universo transmídia não pensaria duas vezes. Ele não é o cara. Ele sempre foi o cara.

Enfim, é o contexto que separa o charlatão de quem realmente vive um assunto. E tanto é assim que o discurso de Jeff trata da importância de uma boa história antes de criar qualquer coisa transmídia.

Abaixo selecionei alguns trechos interessantes, mas insisto para que leiam toda a transcrição.

So I’m imploring you to think about the fact that we have enough technology, enough of a communications system for us to read one another and “get” one another and appreciate that authenticity, so you have to really mean it. If you don’t, they will leave you.
(...)

You’ve got to keep it basic, because the method of story telling has grown more complex. You need to hit people right between the eyes with something alluring and provocative if you’re going to invite them to move across these screens, across these platforms, to enjoy the narrative. They have to want to come with you. Not all of us have Disney’s advertising budget, so you’re going to have to make them fall in love. 

(...)
So here’s the thing that I’m missing in a lot of the content that comes to me…pain.
When I say pain, I really mean honesty, something that you’re communicating with passion…something that feels so powerful that it hurts. When you’re born and that cord is cut, all you ever want to do is go back inside. You want to grab hold of that person, be close to that person. There’s something about all of us that forever mourns and suffers from that primal separation, and all of these stories, these mythologies, these belief systems, they’ve evolved to comfort us, to give us succor so that we don’t constantly feel the pain of that separation.
 (...)
You are going to see a little bit of yourself in where you’re going.

3 comentários:

  1. Este blog é uma representação exata de competências. Eu gosto da sua recomendação. Um grande conceito que reflete os pensamentos do escritor. Consultoria RH

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

O espaço é aberto para críticas, sugestões e até elogios. Só, por favor, não venha com spam.