quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Quando a ficção invade o mundo real



Aí está uma palestra bem legal do mestre Henry Jenkins, o "papa" da transmídia, para o TEDxNYED. Ele fala basicamente sobre novas mídias, cultura da participação e a relação dessas coisas com engajamento cívico.

O mais importante, na minha humilde opinião, é a sacada de que as histórias ficcionais, muitas vezes funcionam como uma camada de significado que se sobrepõe à realidade, podendo torná-la mais divertida e interessante para as pessoas.

Vamos ser honestos, assuntos como política e eleições são chatos para a maioria das pessoas. Mas quando um grupo de palestinos usam a metáfora do Avatar para fazer um protesto, aí as coisas começam a ficar um pouco mais interessantes.

No vídeo Jenkins fala de muitos outros exemplos onde a cultura pop ajuda a sociedade a entender melhor sobre um determinado assunto ou notícia. Trazendo isso para a realidade brasileira atual não tem como não pensar nos memes bem humorados do Twitter, que toda semana ajudam a espalhar notícias (importantes ou não).

Nessa linha vou terminar o post com uma provocação: talvez as marcas que licenciam personagens ficcionais tenham um campo de possibilidades para trabalhar esse tipo de investimento muito maior do que simplesmente estampá-los nas embalagens. De repente falta um estímulo para que as pessoas remixem esses elementos como o Obama fez na campanha de 2008.

o vídeo veio da Sparksheet, onde o Jenkins também deu uma entrevista sobre o cenário transmídia no Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O espaço é aberto para críticas, sugestões e até elogios. Só, por favor, não venha com spam.